Tags

, , , , ,

Em iniciativa encabeçada pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), instituição que contribui com estatísticas e análises das maiores economias do mundo, nasce um novo banco de dados que mostra como os países contribuem com o valor adicionado da produção mundial.

A seguir, um vídeo institucional explica a iniciativa.

Com essa ferramenta, pode-se analisar a proporção de produtos importados utilizados na produção dos bens exportados pelos países.

Desde a década de 1980, acelerou-se o processo de internacionalização da produção e dinamização das conexões comerciais e financeiras, formando-se uma cadeia produtiva em escala global, com a participação de cada país em etapas determinadas das linhas de produção e distribuição dos diversos bens comercializados.

Por isso, é importante entender como e quanto contribui cada país para o valor final dos bens. Nesse aspecto, o setor de serviços ganha um vulto inesperado, chegando a representar 30% do valor adicionado de alguns bens comercializados internacionalmente.

Publicado na semana passada no Valor Econômico, o artigo de Jorge Arbache introduz o novo aplicativo da instituição e já oferece uma análise acerca do posicionamento do Brasil e como as novas estatísticas podem ser utilizadas no âmbito de negociações comerciais internacionais.

Certamente, um prato cheio aos estudiosos das relações internacionais. Bom proveito!

Anúncios