Uma das principais preocupações da sociedade contemporânea em relação às projeções do clima diz respeito às possíveis mudanças na frequência e intensidade dos eventos climáticos extremos, sejam eles caracterizados pela falta ou excesso de água.

Os eventos climáticos extremos são frequentemente, mas nem sempre, associados aos desastres naturais. Desastres implicam impactos sociais, econômicos ou ambientais que perturbam gravemente o funcionamento normal das comunidades afetadas.

Condições meteorológicas e eventos climáticos extremos implicarão em desastres naturais se e somente se: (1) as comunidades estiverem expostas a esses eventos, e (2) a exposição ao evento for acompanhada por um alto nível de vulnerabilidade (IPCC, 2012). Dessa forma, desastres naturais também podem ser desencadeados por eventos que não são extremos no sentido estatístico. Elevados níveis de exposição e vulnerabilidade transformarão até o menor dos eventos em desastres para algumas sociedades.

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas (INCT-MC) lançou um interessante vídeo sobre os sistemas de monitoramento de desastres naturais e a prevenção de seus impactos. E compartilho esse vídeo com vocês como mais um exemplo de avanço social proporcionado por modelos e análises que levam em consideração o espaço geográfico.

Cemaden

Bom vídeo!

Anúncios