Tags

, , , , , ,

Jorge Ben avisou certa feita: Deu no New York Times… e também no Wall Street Journal! Pois bem, a feira de Acarí deu lugar ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, em sua difícil trajetória para conquistar a reeleição no pleito do próximo domingo, dia 02 de outubro.

Apesar de ter subido de 7% para 9% na pesquisa do Ibope (22/09), e para 12% nas intenções de voto captadas pelo mesmo instituto até ontem (26/09), Haddad amarga um quarto lugar esperado nessa altura do campeonato. Em 2012, ocorreu algo parecido. Russomanno também mantinha uma distante liderança frente a Serra e Haddad. Em setembro daquele ano, como no atual pleito, Russomano começou a desidratar e ficou fora do segundo turno. A história parece rimar novamente, qual soneto esperançoso!

É difícil para Haddad avançar o necessário para continuar na disputa. Ele tem menos de uma semana para operar uma grande reviravolta. Não é impossível. Em 2010, Netinho de Paula figurava, a um dia da eleição, com a maior intenção de votos (disparada) para o cargo de Senador por São Paulo. Foi superado por Marta Suplicy.

foto_haddad

Este ano, contudo, Haddad conta com muitos “vazamentos” de votos em sua campanha. Não apenas Erundina e Marta drenam parte do apoio progressista, como a imagem manchada do PT em meio ao impeachment de Dilma e às intermináveis fases da Lava Jato elevam a rejeição da população ao prefeito, em torno de 50%.

Sempre fui um apoiador do prefeito, não apenas pela abordagem frontal que adota em suas interações com a exigente população, persecutórios meios de comunicação e o conservadorismo persistente de poderosos grupos de interesse; mas também pela agenda progressista.

Certamente, ele tem muitos defeitos como gestor, como político e como executor de obras públicas. Por outro lado e curiosamente, ele é o exemplo vivo da marca que João Doria (líder nas pesquisas) tenta vender a seus eleitores: Haddad não é um político tradicional (e profissional). E ele paga um preço elevado por isso. Talvez elevado demais para ele e, receio, para a cidade.

Como militante de uma cidade mais inclusiva e mais humanizada (em oposição a uma mais motorizada), vejo em Haddad o prefeito de que a cidade precisa para realizar sua histórica vocação vanguardista, agora em pleno séc. XXI. Explico-me.

Ele é o prefeito em que a elite econômica paulistana e os meios de comunicação menos confiam. SIM! Este é o seu maior trunfo… e o nosso também!

Sua forma despojada de “atrapalhar” o assentado modo de ir e vir do paulistano morador do centro e o fato de estar no PT tornam o prefeito um gestor de baixíssima confiabilidade perante os agentes de fiscalização. Isso provoca os necessários contrapesos à atuação do poder executivo.Não é por outro motivo que aprendemos tanto sobre São Paulo em sua gestão. E isso não é mérito apenas de Haddad. Como o Rodrigo Medeiros já apontou aqui em outro post, este é o “século das cidades”.

A democracia apenas avançará rumo ao seu exercício pleno se nossos representantes no executivo tiverem a ousadia típica dos inovadores e a sensibilidade destes para com o futuro. A qualidade da gestão é importante, mas não nos faz avançar por si só. É preciso um foco na inclusão, na transformação, na sensibilização e na publicização da agenda pública.

O preciosismo tecnicista dos setores mais conservadores da cidade é uma importante barreira contra aventureiros e curandeiros da coisa pública. Porém, o perfeccionismo que se espera do setor público no Brasil virá com a mobilização política de todos e todas, a favor e contra.

Democracia municipal envolve encher as ruas, a pé, de bike, com cartazes e protestos. Com música e palavras de ordem, com bandeiras e carros de som.

Pego de surpresa pelas manifestações de junho de 2013, o prefeito soube problematizar a cidade e colocá-la na agenda diária de debates, discutir o IPTU progressivo, a cracolândia e até a dívida do município com a União, dentre outros tópicos.

Ele jamais será perfeito, é apenas um prefeito. Mesmo assim, a cidade com um prefeito como Haddad pode forçar o nosso legislativo a ser mais eficiente e nossa imprensa a ser mais atenciosos com o dia a dia municipal, ainda que com um viés oposicionista claro. Não tem problema. Democracia é assim mesmo!

Mas se você não acredita em mim, escute o New York Times…ah, e o Wall Street Journal também.

Bom voto e boa democracia!

_________________________

Abaixo, listo algumas das informações sobre a gestão Haddad. É uma lista viesada, mas nem por isso, inverídica. A interpretação é sujeita às inclinações políticas de cada um e ao grau de rejeição e aceitação do prefeito. De qualquer forma, vale a pena conferir e pesquisar – e, se necessário, corrigi-la nos comentários.

(Texto adaptado de Diego Brea e Gabriela Lotta)

– Implantou a Paulista Aberta e o programa “Ruas Abertas”, mostrando para a sociedade que é possível voltar a acessar os espaços públicos tendo segurança, saúde, lazer e cultura. Voltando a ter uma visão mais humana, social e sustentável da cidade, podendo questionar qual é a cidade que queremos, ter uma cidade melhor para todos ou ter uma cidade individualizada e estressada?

-Melhorou e criou novos parques na cidade, ampliando a opção de lazer, integrando-o com a malha cicloviaria, dando mais opção de lazer para todos. Parque Chácara do Jockey, Centro Esportivo Tietê e do Centro de esportes radicais, São Paulo ganhou 231,5 mil m² de áreas verdes.

-Ampliou o acesso a cultura na cidade, promovendo em quase todos os finais de semana atividades gratuitas e disponíveis para a população. Estas atividades foram realizadas nos parques, nos centros culturais, nas ruas abertas, na Paulista Aberta, no Minhocão. Dou ênfase para belíssimas atividades na virada sustentável, virada esportiva e virada cultural.

-O Carnaval de Rua foi melhorado e ampliado, com diversas atividades pela cidade. São Paulo voltou a ser referencia para o turismo de lazer, voltamos a ter mais estrangeiros na cidade movimentando a economia local.

-Melhorou a mobilidade urbana de São Paulo. Implantou 423,3 km de faixas exclusivas, melhorando o tempo do transporte publico na cidade. Deu passe livre para 600 mil alunos, priorizando o acesso a cultura e a educação. Implantou o ônibus de madrugada, onde já peguei diversas vezes e foi bem tranquilo. Modernizou os ônibus, gerando mais espaço interno, mais conforto, ar condicionado, usb para carregar aparelhos, wifi e em breve teremos local para transportar bicicletas.

-Implantou e priorizou o transporte ativo na cidade de São Paulo, instalou mais de 400Km de ciclovias e ciclofaixas, além de colocar bicicletários nos terminais urbanos e instalar paraciclos pela cidade. O transporte ativo se tornou mais uma opção saudável e econômica para ser utilizada em São Paulo. Deu o apoio para realizar a Bicicultura, disponibilizando para a sociedade a discussão sobre o transporte ativo na cidade.

-Regularizou o UBER, dando uma opção mais acessível de locomoção para a sociedade. Sendo seguro, acessível, compartilhado e compatível com os modos ativos.

-Entregou novos hospitais em São Paulo, incluindo o novo Hospital Municipal Vila Santa Catarina, hospital de qualidade tendo a parceria do Albert Einstein. Reorganizou as parcerias com as organizações sociais, territorializando os contratos e melhorando os indicadores de controle das parcerias.

– criou o rograma Transcidadania que ofereceu formação escolar e profissional para para travestis e transexuais. Em 2015 foram 100 pessoas atendidas pelo programa e em 2016 estavam previstas vagas para 200 pessoas

– criou a Coordenação de Políticas para Migrantes (CPMig), no âmbito da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania. Entre as ações da secretaria destacam-se a criação do Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes (CRAI-SP) e a criação de 3 centros de acolhida para imigrantes (Bela Vista, Penha e Pari)

-Houve investimento na construção de moradias com qualidade, foram entregues 12.585 unidades habitacionais.

-Criou o Conselho da Cidade, o Conselho do Transporte que atualmente faço parte, alem das Câmaras Temáticas, órgãos que representam o cidadão comum e orientam qual deve ser a prioridade realizada pela Prefeitura.

-Implantou o Plano Diretor que reorganiza a cidade, criou o Plano de Mobilidade urbana junto com a participação da Sociedade.

-Através da Tecnologia, houve a modernização de diversos serviços oferecidos pela Prefeitura. A implantação do Prontuário Eletrônico, em 256 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital; A disponibilização de dados abertos sobre a mobilidade urbana de São Paulo, com isto se criaram diversos aplicativos gratuitos pela sociedade; Houve a criação de diversos sites pela prefeitura, que abriram a possibilidade de participar e dar sua opinião como munícipe para melhorar o serviço oferecido; disponibilizou o planeja Sampa, onde é possível verificar se a gestão esta cumprindo as metas estabelecidas.

– Criou a maior rede de laboratórios criativos do mundo, disponibilizando 12 unidades através do programa FabLab livre SP. Local que disponibiliza cursos e equipamentos criativos que ensinam a fabricar (quase) tudo.

-Criou a WiFi Livre SP garantindo internet de graça em praças e parques, possui 2,5 milhões de acessos mensais.

-Criou a ADESAMPA (Agencia de Desenvolvimento de São Paulo), implantou o programa VAITEC, apoiando novas soluções tecnológicas para serem aplicadas na sociedade melhorando a sua qualidade de vida.

-Deu importância para a questão da reciclagem na cidade, implantou um sistema de reciclagem que é referencia na América Latina.Criou os centros de reciclagem pela cidade, ampliou os ECOPONTOS disponibilizando fácil acesso para a população. Aplicou a compostagem e avança ainda mais com o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Cidade de São Paulo.

-Deu prioridade em Salvar Vidas, realizou a diminuição de velocidades em São Paulo, adequando-o para termos menos mortes e menos acidentes.

-Os alimentos orgânicos e mais saudáveis entraram na merenda escolar da prefeitura.

-Investiu totalmente na educação, melhorias para os professores, país e alunos. Professores obtiveram melhor remuneração e especialização com cursos e fóruns. Infraestrutura de qualidade para a sociedade utilizar.

-Melhorou, modernizou e ampliou os CEUs, oferece uma ótima infraestrutura educacional, cultural e de lazer para a sociedade periférica ao redor.

-Implantou as Universidades Publicas nos CEUs junto com a população da periferia, disponibilizando 8.000 vagas na Educação Universitária.

-Criou 100 EMEFs de Escola integral, atendeu 100 mil novas vagas na educação infantil.

-Criou o circuito SPCine, salas de cinemas gratuitas em CEUs e Centro Culturais, disponibilizando cinema gratuito para a população que não era alcançada. Teve mais de 100.000 espectadores, se tornando a maior rede de cinema de São Paulo.

-Criou o SPCine Empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo incentivando a produção audiovisual para cinema, TV, games e web.

-Teve um programa eficiente e necessário para os dependentes químicos em situação de rua, programa “De Braços Abertos”, 88% dos participantes reduziram drasticamente o consumo de drogas, e 73% deles já estão novamente no mercado de trabalho. 352 pessoas foram diretamente recuperadas para a sociedade com este programa.

-Criou a Incubadora e a economia solidária entre as micro e pequenas empresas.

-Criou a Lei de Fomento à Periferia, aumentando e ampliando a participação cultural na periferia.

-Melhorou a iluminação nos bairros de São Paulo, colocando LUZ LED nas ruas, aumentando a segurança.

-Criou o Centro Municipal de Adoção de Cães e Gatos. O novo espaço busca incentivar a adoção de animais.

– Criou a iniciativa de Governo Aberto, conjunto de iniciativas articuladas de transparência, participação, inovação e integridade nas políticas públicas. Essa agenda busca ampliar a participação social e o controle por parte dos cidadãos das informações públicas, desenvolver processos que estimulem a integridade dos servidores e utilizar a inovação tecnológica e social em prol da participação cidadã. Além disso, já formou dezenas de Agentes em Governo Aberto, que disseminam as práticas e a cultura do Governo Aberto.

-Criou a Controladoria Geral do Município (CGM), órgão criado na gestão Haddad para fiscalização de gastos, combate à corrupção, transparência e defesa do patrimônio público. Recuperou mais de R$ 605 milhões em desvios de verba, somando os esquemas de corrupção da Operação Água Espraiada (R$ 124,2 milhões) com o da Máfia do ISS (R$ 481 milhões).

 

Anúncios